O Pelourinho abre as portas do comércio

Posted on 21/11/2007 por

2


daniel.jpg

O Pelourinho é uma cadeia de comércios que se pode encontrar todos os tipos de produto.

por Gabriel Ramacciotti 

O Pelourinho é um grande centro comercial, que abrange um grande número de lojas ligadas ao comércio. No ano, milhares de turistas oriundos de vários lugares do mundo visitam o Pelourinho, se encantando com tudo o que vêem. E com isso o comércio acaba lucrando com os gastos dos turistas que não poupam na hora de comprar algo que os agrade. Indo desde produtos mais baratos, como pequenas lembranças da cidade, aos mais caros, como quadros que retratam as belezas da região.

No passado, o comércio não era tão intenso com é hoje, não existia esse aglomerado de lojas e a maioria dos comerciantes eram ambulantes, que tinham condições financeiras baixas e moravam na região. Assim, buscavam o sustento nas pequenas barraquinhas que montavam pelas calçadas vendendo as suas mercadorias. Também não existia restaurantes requintados como hoje, mostrando uma grande mudança.

Essa mudança aconteceu rapidamente devido ao crescimento da cidade, levando benefícios para a região. Aos poucos o Pelourinho foi ganhando lojas que antes não tinham e restaurantes. O fluxo de pessoas aumentou, junto com as vendas que agora tinham um caráter abrangente atendendo todos os gostos dos consumidores, que achavam tudo com qualidade, o que aumentava cada vez mais a fama comercial do lugar. Os ambulantes não deixaram de existir e continuavam com o seu meio de sustento.

Mas, de uns anos para cá, o Pelourinho vem sofrendo um tipo de decadência que não agrada nem um pouco os comerciantes. Ulisses Santos, responsável pelo Atelier Raimundo Santos Bida onde são vendidos quadros de diferentes tipos, desde paisagens naturais a pinturas de negros, disse que o motivo para essa suposta decadência é por causa da baixa do Dólar que atrapalha as vendas. Falou que não tem uma época definida de vendas e comentou que apesar desse mau momento que o comércio vem passando ainda vale a pena ter uma loja no Pelourinho, pois os maiores contatos surgem lá. Os preços dos quadros variam de acordo com o seu tamanho e do que se trata a pintura, custando em torno de R$ 250 reais pra cima. E acrescentou que o público alvo de vendas são os turistas.

A Elaine Barbosa, responsável pela loja Flip Flop , que vende sandálias, falou que ela não percebe essa degradação e que os seus produtos vendem muito e é mais destinado a estrangeiros. Falou que a alta estação é a época de maios lucro, que vai do início de julho ao final de setembro. Disse que vale a pena ter comércio no Pelourinho, pois é um lugar repleto de consumidores e acrescentou que o seu produto, as sandálias (havaianas), é conhecida no mundo inteiro o que chama mais atenção. As sandálias custam por volta de R$ 25 reais podendo sair por mais, dependendo do modelo.

Já Meire Oliveira, responsável pela loja Coco e Arte, que comercializa camisetas e artesanatos em geral, concorda com a visão de Ulisses e acrescenta que essa degradação ocorre há algum tempo devido a baixa da moeda americana. Disse que os produtos da loja são destinados exclusivamente a estrangeiros e em parte a moradores da terra. O  Pelourinho é um lugar bom para vendas, afirma Meire por causa do grande número de consumidores que chegam de todas os lugares. As camisetas custam R$ 32 reais as mais simples e os artesanatos tem preços variados.

Apesar dessas diferentes visões do comércio, o Pelourinho nunca vai deixar de ser um grande centro comercial, que vende e aumenta em parte a economia da cidade. Um lugar repleto de contatos comerciais, com as suas lindas lojas e restaurantes que estão sempre dispostos a atender todos os gostos dos clientes. Apesar da degradação atual, os comerciantes são unânimes em dizer que vale a pena abrir um comércio no local já que é lá que a economia se movimenta.

(outubro 2007)

Anúncios
Posted in: ECONOMIA